a proximidade de um grande crash

MERCADOS – DE OLHO NO FUTURO

Todos nós sabemos que o mundo está encalacrado em dívidas; os países têm dificuldade de renegociá-las ou de efetuar a recomposição delas em prazos maiores e com taxas mais camaradas porque, afinal, as taxas praticadas nos mercados, há cerca de nove anos, são quase nulas, quando não negativas. Por essa razão, os políticos aproveitaram para tomar empréstimos muito baratos, não para aplicarem em investimentos rentáveis que produzissem retornos suficientes para pagá-los, mas para programas sociais que permitissem maior apoio popular a seus projetos de permanência no poder sem a preocupação com a sustentabilidade desses programas. “Facilidades produzem tragédias”, segundo a filosofia chinesa. Porto Rico está insolvente; Grécia em default e humilhado pela Europa; Portugal, Espanha, Itália, Brasil, Venezuela, Rússia, Japão e até EUA, como já tive a oportunidade de demonstrar na série de artigos “A Economia Americana”, todos endividados muito além do que seria razoável. A China está se reinventando, porque não consegue manter seu modelo exportador num mundo em…