Opinião

UM MERCADO DE AÇÕES SURPREENDENTE

É interessante notar como o otimismo continua reinando no mercado de ações. Analisando a situação que nos circunda, vemos paralisações generalizadas de negócios, desemprego em massa, governo gastando sem rédeas e aplicando mal o nosso escasso dinheiro, agitações sociais, ruas vazias, lojas fechadas. Lembre-se que já vínhamos de uma situação preocupante do ponto de vista do emprego e da política fiscal. Presentemente, a situação está completamente descontrolada, faltando até dados precisos para uma avaliação mais realista. E a Bolsa sobe! No plano geopolítico a China está retomando o controle absoluto sobre Hong Kong e Taiwan, acabando com o conceito ‘um país, dois sistemas’, o que tem provocado reações dos EUA, cujos entendimentos em relação à guerra comercial, que estava caminhando para um final razoável, se reverteu e, em consequência, a China cortou o plano de importações de agro dos EUA, em retaliação. E a Bolsa sobe! O nosso PIB, estimado em 2,5% no início deste ano está sendo revisado como…

O QUE TENHO FEITO EM MINHA PRISÃO DOMICILIAR

Pela manhã, minha caminhada obrigatória de 3 Kms. Após, leio o Estadão enquanto tomo o café da manhã. Em seguida, 30 min de exercícios de alongamento, flexões e musculação. Após o almoço, relax de 20 minutos, ouvindo um piano jazz relaxante e, logo a seguir, trabalho. Quando não há nada urgente a resolver, leio. Neste período de reclusão forçada, li os livros: A Saúde Plena Depende de Nós, do médico Roberto Zeballos; Sapiens e 21 Lições para o Século 21, ambos de Noah Harari. Estes três livros me ensinaram muito, ampliaram minha visão do ser humano e sua interação com o universo. Adquiri o terceiro livro do Harari, Homo Deus, cuja leitura estou iniciando neste exato momento. Como disse o escritor Eduardo Agualusa, “Ler é a melhor maneira de enfrentar o isolamento. Leitores não são ilhas, são universos em expansão”. Isolado, ampliei bastante minha criatividade, trabalhei num projeto que estava parado há tempos e fiz algo incrível: consegui desenvolver um…

ATUALIZAÇÃO DO DOW JONES em 31/03/2020

Em minha análise publicada aqui em 8/10/2019 (Clique para ver), previ uma queda grande de 20 a 30%, o que ocorreu logo em seguida, em 20%. O Banco Central americano, o FED, amenizou a queda reduzindo a taxa de juros e injetando moeda no mercado. O Índice se recuperou rapidamente e prosseguiu subindo. Entretanto, as causas não foram removidas e, pior, o FED já não tem mais instrumentos monetários para equilibrar o mercado. O efeito catalítico do Corona Vírus, que veio em seguida, produziu o crash de forma abrupta e com gaps levando a cotação do índice para a zona intermediaria entre os dois suportes anteriormente calculados. Fiquem atentos, façam investimentos criteriosos apenas em empresas sólidas e com perspectivas futuras bem fundamentadas. A situação criada pela pandemia, de proporções jamais vistas nos últimos cem anos produzirá grande devastação na economia global, que já estava capenga e o processo de recuperação será muito lento.

MINHA VISÃO DO BRASIL PARA 2020

Não sou um otimista, nem tampouco um pessimista. Procuro ser realista e o faço através de pesquisas, examinando os números da realidade. Com base nos dados que disponho prevejo um ano 2020 difícil para o governo e muito mais para os cidadãos. O desemprego continuará em níveis elevados, a paciência do povo já está acabando, segundo as recentes pesquisas que mostram a perda de popularidade do presidente. Este não soube aproveitar o período de lua de mel para incrementar as reformas que o país tanto necessita e em tempo hábil, o que poderá produzir novos protestos que terão o efeito de impedir o avanço das reformas econômicas, com os políticos criando dificuldades em época de eleições. Vamos aos fatos: 1 – Nossa dívida pública. Produzida por um estado inchado por empreguismo e altamente ineficiente na aplicação de recursos transferidos do setor privado ao setor público, através de impostos excessivos, já atingiu R$ 5,31 trilhões! Tenho certeza de que o leitor…

A ECONOMIA AMERICANA – ATUALIZAÇÕES

O déficit federal dos EUA eram, no início de 2.000, US$ 6 trilhões. Agora, em 2019, US$ 23 trilhões. Déficit crescendo na média de quase 900 bilhões, por ano. No período de 19 anos cresceu 300%, praticamente quadruplicou. No período imediato anterior, levou 38 anos para quadruplicar o déficit. Acelerando! As notícias que você recebe pela imprensa é que tudo vai bem, desemprego não existe, economia crescendo. Realmente, 300% é um crescimento enorme! Você certamente conhece a história do sujeito que se atirou do 20º andar e lá pela altura do 10º disse para os que estavam na janela: “Até aqui, tudo bem!” Qual país resiste a levar para sempre o que não produz, sem consequências? Quem financiava a dívida americana? Pensou na China, acertou. Suas imensas reservas nos EUA de pouco mais de $5 trilhões, antes do governo Trump, eram aplicados em títulos da dívida e letras do Tesouro. Agora, após a guerra comercial, não mais. A China, ao…

Guerra Comercial acaba hoje?

EUA & China estão em guerra comercial há mais de um ano. Hoje estão reunidos representantes da China com seus pares americanos para fechar um acordo. Meu prognóstico: nada será fechado, a menos que os EUA acolham os chineses e os tratem com delicadeza e atenção, em vez de ameaças. Saiba mais lendo o artigo que escrevi no inicio desse imbróglio:

ANÁLISE TÉCNICA DO ÍNDICE BOVESPA 08 10 2019

Minha última análise efetuada em 07/02/2018 permaneceu sem atualização porque o índice da bolsa desenvolveu-se rigorosamente dentro de minhas previsões, não houve, portanto, a necessidade de atualizações. Como poderão constatar neste site, a onda w3 terminaria na faixa 92 – 98 mil pontos. Terminou em 100.430 mil pontos, 2,4% acima do valor mais alto previsto. Agora a onda w5, que completará a intermediaria (3), irá a 129 – 130 mil pontos até o final do próximo ano. Estou considerando que irá se desenvolver mais devagar devido aos tropeços que certamente sofrerá com o que está previsto para a bolsa americana. Aproveitem o bom momentum e bons investimentos.

Análise Técnica do Índice Dow Jones 08 10 2019

Como havia previsto em novembro de 2017, na análise disponível aqui em meu site, o Dow Jones finalizaria seu ciclo de alta em 26.608,90 pontos. Na verdade, o pico histórico de alta alcançou 27.398,68 pontos, 2,97% acima do previsto. Agora, os indicadores e osciladores estão a indicar que o índice está na iminência de uma queda abrupta, tipo crash, que conduzirá sua cota para nível de 20 a 30% abaixo da cota máxima alcançada e certamente terá repercussões nas bolsas internacionais, incluindo a do Brasil. Pelos meus cálculos o índice alcançará suporte na faixa 22.000 – 18.700. Uma queda e tanto. Estejam preparados.

USA vs CHINA – A GUERRA COMERCIAL?

Já escrevi sobre A Guerra do Petróleo e A Guerra das Moedas e um valioso leitor de minhas publicações me pergunta, por que fiquei mudo com a tão propalada guerra comercial dos EUA com a China, com repercussões pela Europa, Canadá, México e até pelo Brasil, neste caso nos favorecendo. Simplesmente, porque não é uma guerra! Trata-se de um bem disfarçado aumento de impostos para os americanos. Em minhas publicações sobre a Economia Americana expliquei que a China exerceu por anos o papel da maior financiadora da impagável dívida dos EUA. As reservas mantidas pelo país asiático eram superiores a 5 trilhões de dólares, aplicados em títulos do Tesouro americano, ouro e outros ativos. Agora não mais. A atual reserva é de US$ 3,095 trilhões, reduzida em mais de dois trilhões que foram transferidos para diversos países onde a China adquiriu mineradoras de ouro, terras agrícolas, empresas diversas e investiu em infraestrutura em vários países cuja razões expliquei em vários…

Análise Técnica do Índice Dow Jones Industrial

Guarujá 21/12/2018 – Dagoberto Aranha Pacheco Em novembro de 2017 alertei, numa destas análises aqui publicadas, que o Dow Jones estava prestes a terminar sua trajetória de alta da tendência ‘bull’ que já durava 9 anos. Efetivamente, finalizou seu ciclo de alta na cota 26.608,90 em 02/fevereiro/2018. A partir de então, as caraterísticas gráficas se alteraram completamente, apresentando muita volatilidade, quedas abruptas seguidas de recuperação e, na visão geral, um deslocamento lateral com a formação de um tríplice, A – B – C. Esse tríplice, ainda em formação, poderá durar dois anos ou pouco mais. Hoje o índice despencou para 22.639 pontos, com a característica de crash e atingiu a mesma cota de outubro/2017. Haverá, naturalmente uma correção técnica, com alta, mas será breve e seguida de quedas mais acentuadas até a primeira linha de suporte, cota 21.480, calculada em abril de 2018. Interessante notar que os analistas nacionais e também analistas internacionais desacreditaram que o índice estivesse numa tendência…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (4)

4º de 4 artigos EUROPA – CHINA Os investimentos chineses no continente europeu saltaram para US$ 40 bilhões em 2017, quase o dobro do ano anterior. Com investimentos considerados bem vindos pelos europeus, a China amplia sua presença e influência política entre os tradicionais aliados dos americanos. Estes, os americanos, estão temerosos de que a China se torne numa ameaça comercial e militar. Deveriam ficar mais atentos à lealdade de seus aliados. Seria bom se os europeus moderassem suas boas vindas à China? Não é o que está acontecendo e os europeus estão incentivados pela política de Trump de deixar que seus aliados cuidem de si mesmos. Traduzindo, as atitudes e decisões de Trump têm, metaforicamente, asfaltado e iluminado o caminho para o avanço mais fácil da China. A China vem adotando uma política de defesa e valorização do livre comércio, da preservação do meio ambiente, das negociações multilaterais, criando oportunidades aos países de crescerem juntos e desfrutarem de novas…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (3)

3º de 4 artigos EUA – CHINA Em novembro último, três importantíssimas reuniões aconteceram do outro lado do planeta: a cúpula da ASEAN (Associação das Nações do Sudeste Asiático), uma outra do Leste Asiático, ambas em Cingapura, e a conferência da APEC (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), em Papua Nova Guiné. A importância dessas reuniões está relacionada com o propósito dos países da região que estão procurando se posicionar e avançar em meio a excepcional mudança de poder internacional que representa a extraordinária ascensão da China comandada pelo seu já denominado imperador Xi Jinping. Os presidentes da China, Japão, Rússia, Índia e Coreia do Sul participaram do evento, além dos países-membros. A exceção foi Trump que esnobou o encontro e enviou o vice-presidente Mike Pence para representar os EUA. Pence, em seu discurso, chegou a afirmar que o seu país está preocupado com a ascensão da China. Por outro lado, o propósito dos demais participantes era a preocupação com os movimentos dos…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (2)

2º de 4 artigos BRASIL – CHINA A China é o maior parceiro comercial do Brasil que, por sua vez, é o maior parceiro comercial da América Latina. Estremecer essa relação não é bom para nenhum dos lados. Esperamos que o novo governo do Brasil, que se anuncia como liberal, intensifique as relações comerciais com a China, abra o país para os investimentos estrangeiros, já que necessitamos de recursos urgentes para a nossa precária infraestrutura, modernização dos meios de transporte rodoviário, ferroviário, fluvial e marítimo, reestruturação industrial, privatizações, melhoria da grade energética e minorar nossa persistente crise financeira. A nossa parceira China está derramando recursos pelo mundo afora. O Brasil precisa intensificar as relações diplomáticas e comerciais com China, EUA, Europa, Japão, países asiáticos, África, Oriente Médio e demais países da América Latina sempre e quando as trocas ofereçam vantagens para as partes e não apenas doações à fundo perdido como vinha sendo a prioridade do governo anterior. A China…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (1)

1º de 4 artigos A CÚPULA DO G20, NA ARGENTINA Ocorreu nos últimos dias de novembro passado. Teve três prioridades:1- Futuro do trabalho2- Infraestrutura para o desenvolvimento3- Alimento sustentável; melhoria da produtividade O objetivo do G20 é promover a coordenação das políticas macroeconômicas globais. Destaques foram os pronunciamentos dos dois pesos pesados da economia e do comercio mundial: EUA e CHINA. Trump defende o unilateralismo e protecionismo no comércio e a China o multilateralismo e abertura dos mercados.De que estão falando? Vamos esclarecer os conceitos de ambos os termos para que este texto se torne útil. UNILATERALISMO é qualquer agenda ou doutrina que apoie uma ação unilateral. Eu defino, você acata, temos um acordo. Exemplos: “America First”: Trump diz para a China: “ou vocês importam mais produtos americanos ou vou taxar em 25% as importações dos produtos chineses”.Trata-se de uma imposição unilateral, usual em regimes totalitários e não democráticos.MULTILATERALISMO se refere às relações internacionais onde vários países, trabalham em conjunto…

GUERRA COMERCIAL EUA & CHINA

O FATO: No dia seis de julho, dia no qual a Seleção do Brasil voltou para casa, a guerra comercial imposta por Trump foi iniciada, para valer. EM QUE CONSISTE: Vários produtos importados da China, principalmente aço e alumínio, além de outros produtos dos setores de tecnologia, aeroespacial, TI, autopeças e instrumentos de medicina terão taxas aduaneiras de 25%. O QUE ISSO REPRESENTA: US$ 34 bilhões de produtos oriundos da China ficarão mais caros para os americanos. Na realidade é muito pouco e pouco irá afetar as exportações globais da China, incluindo as destinadas aos EUA. Esse Valor é muito inferior às exportações totais da China para os EUA. Ademais os produtos americanos, como aço e alumínio, são mais caros e menos competitivos que os produzidos na China. Contudo, os americanos não irão investir em novas fábricas ou na modernização das existentes, para aumentar a produção interna e melhorar a competividade, porque não estão seguros de que essas medidas sejam…

A cúpula TRUMP vs KIM

Hoje estamos sem luz nesta progressista Alphaville. Não podendo trabalhar fui malhar na academia, mas os equipamentos são eletrônicos e dependem dessa força para nos dar força. Frustrado, voltei para casa, li o jornal e resolvi escrever no meu Note Book, enquanto a bateria suportar. Dia 12 de junho haverá o esperado encontro de Trump e Kim Jong-un em Singapura. Vai ser uma festa divertida, não a percam. O mandatário da Coreia do Norte tomou a providência de ir à China escutar os conselhos de Xi Jinping, o sábio ditador da China e um expert em estratégia e manipulação. Voltou de lá todo sorrisos, transformado em ‘Lulinha Paz e Amor’. Estabeleceu uma linha de comunicação telefônica com a Coreia do Sul, o poderoso aliado dos EUA e um dos tigres asiáticos. Seu novo presidente, Moon Jae-in parece ter a cabeça na lua. Preparou uma recepção ao colega do Norte e num almoço de sincera acolhida ofereceu um bolo com o…

Feliz 2018?

O ano 2017 está finalizando e é natural que as pessoas expressem suas esperanças de que o Ano Velho fique para trás e que o Ano Novo traga melhores e mais prósperos dias. Não trará. E não se trata de pessimismo, mas da análise da dinâmica dos acontecimentos globais em formação, os quais permitem algumas previsões bastante sombrias. Vamos aos fatos: No Brasil, ano eleitoral, temos a certeza da total incerteza do que ocorrerá. Apesar dos avanços da ‘Lava-Jato’ na moralização das relações público-privadas, os políticos continuam nas mesmas práticas fisiológicas e com as mesmas caras-de-pau, dando a mínima para as reações populares e comentários críticos nos jornais e redes sociais. A reforma da Previdência, de suma importância para o equilíbrio fiscal que a duras penas começa a emergir do profundo abismo, não será votada neste ano nem no próximo para manter o privilegio da pequena população de marajás que consomem 45% dos recursos totais da Previdência. Eles são intocáveis…

Bovespa para onde vai?

Numa visão ampla do índice, como mostrada no gráfico acima, destacamos os seguintes pontos, muito significativos: III – final da terceira onda primária que alcançou o teto máximo em 73.920 em 30/05/2008, nas vésperas do crash produzido pela crise financeira nos EUA que se irradiou em escala global. IV – em apenas cinco meses o Índice derreteu para a cota 29.435, uma desvalorização de 60,18%, completando a quarta onda primária e causando uma perda patrimonial sem precedentes para os investidores que não tomaram precauções defensivas, uma vez que os sinais eram bastantes evidentes antes desta ocorrência. > a reação que se seguiu foi forte e completou a onda intermediaria (1), de um grau inferior à primária, na cota 73.103 em apenas 25 meses, em 30/11/2010. O teto anterior, entretanto, não chegou a ser ultrapassado, o que não tem importância, neste caso. > o que sim, tem importância foi o prolongado período desenvolvido pela onda intermediaria (2) a qual permaneceu presa…

Índice Dow Jones Industrial – Análise Técnica em 06-10-2017

Tenho péssimas notícias, mas quando anunciadas com alguma antecedência podem se tornar em grandes oportunidades. Se não quiserem perder dinheiro prestem atenção ao que tenho a dizer. O gráfico DJI, acima, indica o ocorrido, também previsto por mim, em consequência da grave crise de 2.008. O Índice havia completado a onda primária III em 14.198,10 e caiu, no bojo da onda IV, para 6.469,95, uma perda de 7.728,15 pontos ou 54,43%! Para amenizar os efeitos da grave crise econômica, o FED, o Banco Central dos EUA, introduziu os programas Quantitative Easing, por meio dos quais foram injetados na economia 4 trilhões de dólares, surgidos da impressora oficial. A impressionante liquidez gerada por esses programas turbinou as bolsas com impressionante evolução até os dias atuais. Minha análise é fundamentada nos ciclos econômicos e se desenvolvem em cinco ondas sucessivas, três de alta e duas de correção técnica, mantendo as características de mercado Bull. Como o gráfico indica, quatro ondas deste ciclo…

China finaliza a implantação de seu secreto plano estratégico

Vim passar uns dias em Guarujá para meu retiro periódico e solitário de uma semana. Hoje acordei bem cedo, antes das seis horas, fiz meus alongamentos habituais e contemplei a praia de Pitangueiras vazia de gente e guarda sóis. Fiz, em seguida, uma meditação profunda e prolongada e só retornei às oito, quando a praia, contemplada da minha varanda, já apresentava muito movimento, o sol ia alto e quente e eu estava cheio de vontade de escrever e partilhar minhas avaliações com os poucos, mas felizmente diferenciados e fieis leitoras e leitores. Enquanto Trump se distrai em tuitar suas ameaças ao jovem Líder Atômico e buscar, sem sucesso, o apoio da China para conter o avanço do programa nuclear na Coreia do Norte, a China está ativamente estruturando e finalizando o secreto Plano Estratégico que publiquei, em três capítulos, em 23 de setembro de 2015, o qual faz hoje seu segundo aniversário. Confesso que o li, novamente, e fiquei surpreendido…