A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (4)

4º de 4 artigos EUROPA – CHINA Os investimentos chineses no continente europeu saltaram para US$ 40 bilhões em 2017, quase o dobro do ano anterior. Com investimentos considerados bem vindos pelos europeus, a China amplia sua presença e influência política entre os tradicionais aliados dos americanos. Estes, os americanos, estão temerosos de que a China se torne numa ameaça comercial e militar. Deveriam ficar mais atentos à lealdade de seus aliados. Seria bom se os europeus moderassem suas boas vindas à China? Não é o que está acontecendo e os europeus estão incentivados pela política de Trump de deixar que seus aliados cuidem de si mesmos. Traduzindo, as atitudes e decisões de Trump têm, metaforicamente, asfaltado e iluminado o caminho para o avanço mais fácil da China. A China vem adotando uma política de defesa e valorização do livre comércio, da preservação do meio ambiente, das negociações multilaterais, criando oportunidades aos países de crescerem juntos e desfrutarem de novas…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (3)

3º de 4 artigos EUA – CHINA Em novembro último, três importantíssimas reuniões aconteceram do outro lado do planeta: a cúpula da ASEAN (Associação das Nações do Sudeste Asiático), uma outra do Leste Asiático, ambas em Cingapura, e a conferência da APEC (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), em Papua Nova Guiné. A importância dessas reuniões está relacionada com o propósito dos países da região que estão procurando se posicionar e avançar em meio a excepcional mudança de poder internacional que representa a extraordinária ascensão da China comandada pelo seu já denominado imperador Xi Jinping. Os presidentes da China, Japão, Rússia, Índia e Coreia do Sul participaram do evento, além dos países-membros. A exceção foi Trump que esnobou o encontro e enviou o vice-presidente Mike Pence para representar os EUA. Pence, em seu discurso, chegou a afirmar que o seu país está preocupado com a ascensão da China. Por outro lado, o propósito dos demais participantes era a preocupação com os movimentos dos…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (2)

2º de 4 artigos BRASIL – CHINA A China é o maior parceiro comercial do Brasil que, por sua vez, é o maior parceiro comercial da América Latina. Estremecer essa relação não é bom para nenhum dos lados. Esperamos que o novo governo do Brasil, que se anuncia como liberal, intensifique as relações comerciais com a China, abra o país para os investimentos estrangeiros, já que necessitamos de recursos urgentes para a nossa precária infraestrutura, modernização dos meios de transporte rodoviário, ferroviário, fluvial e marítimo, reestruturação industrial, privatizações, melhoria da grade energética e minorar nossa persistente crise financeira. A nossa parceira China está derramando recursos pelo mundo afora. O Brasil precisa intensificar as relações diplomáticas e comerciais com China, EUA, Europa, Japão, países asiáticos, África, Oriente Médio e demais países da América Latina sempre e quando as trocas ofereçam vantagens para as partes e não apenas doações à fundo perdido como vinha sendo a prioridade do governo anterior. A China…

A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (1)

1º de 4 artigos A CÚPULA DO G20, NA ARGENTINA Ocorreu nos últimos dias de novembro passado. Teve três prioridades:1- Futuro do trabalho2- Infraestrutura para o desenvolvimento3- Alimento sustentável; melhoria da produtividade O objetivo do G20 é promover a coordenação das políticas macroeconômicas globais. Destaques foram os pronunciamentos dos dois pesos pesados da economia e do comercio mundial: EUA e CHINA. Trump defende o unilateralismo e protecionismo no comércio e a China o multilateralismo e abertura dos mercados.De que estão falando? Vamos esclarecer os conceitos de ambos os termos para que este texto se torne útil. UNILATERALISMO é qualquer agenda ou doutrina que apoie uma ação unilateral. Eu defino, você acata, temos um acordo. Exemplos: “America First”: Trump diz para a China: “ou vocês importam mais produtos americanos ou vou taxar em 25% as importações dos produtos chineses”.Trata-se de uma imposição unilateral, usual em regimes totalitários e não democráticos.MULTILATERALISMO se refere às relações internacionais onde vários países, trabalham em conjunto…

Querida Tia Landa

São Paulo, 15 de setembro de 2018 Querida Tia Landa, Como sempre acontece, você passa o aniversário cercada dos sobrinhos queridos que vivem nessas bandas do sul e que a sequestram todos os anos. Quando venho visitá-la, me anuncio na Portaria como seu sobrinho do Sul. — Qual deles? — O Dagoberto. — Mas você não é do Sul! — Sim, sou da zona sul da Capital. Para esta comemoração de seu Primeiro Centenário, escrevi algumas linhas que quero compartilhar com todos os nossos amigos aqui presentes: Desejar-lhe boa saúde é conversa fiada, pois a última vez que eu a vi acamada, eu tinha nove anos. Então, que posso desejar-lhe: uma vida longa? Qual! você anda enganando toda a gente com seus 100 anos, quando seus documentos comprovam que são 103! Durante anos foi dedicada cuidadora de suas irmãs as quais a foram deixando só, restando-lhe a missão de alegrar os sobrinhos. Ainda muito bonita, totalmente lúcida, enérgica e sacudida,…

GUERRA COMERCIAL EUA & CHINA

O FATO: No dia seis de julho, dia no qual a Seleção do Brasil voltou para casa, a guerra comercial imposta por Trump foi iniciada, para valer. EM QUE CONSISTE: Vários produtos importados da China, principalmente aço e alumínio, além de outros produtos dos setores de tecnologia, aeroespacial, TI, autopeças e instrumentos de medicina terão taxas aduaneiras de 25%. O QUE ISSO REPRESENTA: US$ 34 bilhões de produtos oriundos da China ficarão mais caros para os americanos. Na realidade é muito pouco e pouco irá afetar as exportações globais da China, incluindo as destinadas aos EUA. Esse Valor é muito inferior às exportações totais da China para os EUA. Ademais os produtos americanos, como aço e alumínio, são mais caros e menos competitivos que os produzidos na China. Contudo, os americanos não irão investir em novas fábricas ou na modernização das existentes, para aumentar a produção interna e melhorar a competividade, porque não estão seguros de que essas medidas sejam…

A cúpula TRUMP vs KIM

Hoje estamos sem luz nesta progressista Alphaville. Não podendo trabalhar fui malhar na academia, mas os equipamentos são eletrônicos e dependem dessa força para nos dar força. Frustrado, voltei para casa, li o jornal e resolvi escrever no meu Note Book, enquanto a bateria suportar. Dia 12 de junho haverá o esperado encontro de Trump e Kim Jong-un em Singapura. Vai ser uma festa divertida, não a percam. O mandatário da Coreia do Norte tomou a providência de ir à China escutar os conselhos de Xi Jinping, o sábio ditador da China e um expert em estratégia e manipulação. Voltou de lá todo sorrisos, transformado em ‘Lulinha Paz e Amor’. Estabeleceu uma linha de comunicação telefônica com a Coreia do Sul, o poderoso aliado dos EUA e um dos tigres asiáticos. Seu novo presidente, Moon Jae-in parece ter a cabeça na lua. Preparou uma recepção ao colega do Norte e num almoço de sincera acolhida ofereceu um bolo com o…

Feliz 2018?

O ano 2017 está finalizando e é natural que as pessoas expressem suas esperanças de que o Ano Velho fique para trás e que o Ano Novo traga melhores e mais prósperos dias. Não trará. E não se trata de pessimismo, mas da análise da dinâmica dos acontecimentos globais em formação, os quais permitem algumas previsões bastante sombrias. Vamos aos fatos: No Brasil, ano eleitoral, temos a certeza da total incerteza do que ocorrerá. Apesar dos avanços da ‘Lava-Jato’ na moralização das relações público-privadas, os políticos continuam nas mesmas práticas fisiológicas e com as mesmas caras-de-pau, dando a mínima para as reações populares e comentários críticos nos jornais e redes sociais. A reforma da Previdência, de suma importância para o equilíbrio fiscal que a duras penas começa a emergir do profundo abismo, não será votada neste ano nem no próximo para manter o privilegio da pequena população de marajás que consomem 45% dos recursos totais da Previdência. Eles são intocáveis…

Bovespa para onde vai?

Numa visão ampla do índice, como mostrada no gráfico acima, destacamos os seguintes pontos, muito significativos: III – final da terceira onda primária que alcançou o teto máximo em 73.920 em 30/05/2008, nas vésperas do crash produzido pela crise financeira nos EUA que se irradiou em escala global. IV – em apenas cinco meses o Índice derreteu para a cota 29.435, uma desvalorização de 60,18%, completando a quarta onda primária e causando uma perda patrimonial sem precedentes para os investidores que não tomaram precauções defensivas, uma vez que os sinais eram bastantes evidentes antes desta ocorrência. > a reação que se seguiu foi forte e completou a onda intermediaria (1), de um grau inferior à primária, na cota 73.103 em apenas 25 meses, em 30/11/2010. O teto anterior, entretanto, não chegou a ser ultrapassado, o que não tem importância, neste caso. > o que sim, tem importância foi o prolongado período desenvolvido pela onda intermediaria (2) a qual permaneceu presa…

Índice Dow Jones Industrial – Análise Técnica em 06-10-2017

Tenho péssimas notícias, mas quando anunciadas com alguma antecedência podem se tornar em grandes oportunidades. Se não quiserem perder dinheiro prestem atenção ao que tenho a dizer. O gráfico DJI, acima, indica o ocorrido, também previsto por mim, em consequência da grave crise de 2.008. O Índice havia completado a onda primária III em 14.198,10 e caiu, no bojo da onda IV, para 6.469,95, uma perda de 7.728,15 pontos ou 54,43%! Para amenizar os efeitos da grave crise econômica, o FED, o Banco Central dos EUA, introduziu os programas Quantitative Easing, por meio dos quais foram injetados na economia 4 trilhões de dólares, surgidos da impressora oficial. A impressionante liquidez gerada por esses programas turbinou as bolsas com impressionante evolução até os dias atuais. Minha análise é fundamentada nos ciclos econômicos e se desenvolvem em cinco ondas sucessivas, três de alta e duas de correção técnica, mantendo as características de mercado Bull. Como o gráfico indica, quatro ondas deste ciclo…

China finaliza a implantação de seu secreto plano estratégico

Vim passar uns dias em Guarujá para meu retiro periódico e solitário de uma semana. Hoje acordei bem cedo, antes das seis horas, fiz meus alongamentos habituais e contemplei a praia de Pitangueiras vazia de gente e guarda sóis. Fiz, em seguida, uma meditação profunda e prolongada e só retornei às oito, quando a praia, contemplada da minha varanda, já apresentava muito movimento, o sol ia alto e quente e eu estava cheio de vontade de escrever e partilhar minhas avaliações com os poucos, mas felizmente diferenciados e fieis leitoras e leitores. Enquanto Trump se distrai em tuitar suas ameaças ao jovem Líder Atômico e buscar, sem sucesso, o apoio da China para conter o avanço do programa nuclear na Coreia do Norte, a China está ativamente estruturando e finalizando o secreto Plano Estratégico que publiquei, em três capítulos, em 23 de setembro de 2015, o qual faz hoje seu segundo aniversário. Confesso que o li, novamente, e fiquei surpreendido…

CRESCIMENTO ECONÔMICO NÃO TEM MAIS SUSTENTABILIDADE

Os políticos, os economistas e empresários, todos sem exceção, pregam o crescimento econômico como a solução para todos os problemas. Há uma compulsão pelo crescimento que tomou conta das últimas gerações as quais creem, com grande convicção, que o crescimento econômico, da produção, dos recursos e dos salários podem e devem permanecer crescendo indefinidamente. Se você, caro leitor e leitora que me dedica seu tempo também está convicta disso, deverá tomar conhecimento dos dados que reuni para comprovar o contrário, que é a tese proposta no título deste artigo. Em primeiro lugar vamos afinar nossa visão numa perspectiva maior e mais ampliada, como se estivéssemos a observar os fatos de longe. Nossa geração nasceu e cresceu num mundo em franco desenvolvimento e, por isso, considera que o crescimento continuará sem interrupção, apesar de algumas oscilações de ajuste. Isso é uma ilusão e pretendo demonstrá-la, em seguida. Essa ilusão se constitui num grande problema porque construímos estilos de vida, fizemos investimentos,…

FOGO E FURIA

Muitas pessoas, americanos inclusive, não tomaram consciência ainda dos riscos iminentes de uma hecatombe mundial que poderá ser provocada pela Coreia do Norte. O líder norte coreano está empenhado em transformar seu país em mais um possuidor de armas atômicas, afim de preservar o seu regime ditatorial e de ser tratado de forma diferenciada, como os demais países que conseguiram alcançar essa qualidade. Já teve ocasião de mencionar que Kadafi , da Líbia e Saddam do Iraque, que acederam transformar seus programas nucleares defensivos em energéticos, acabaram mal. Por isso, Kim-Jong-um, não tenham nenhuma dúvida, está determinado a produzir foguetes, miniaturizar bombas nucleares e se projetar como potência atômica. O governo Obama foi muito condescendente com a Coreia do Norte achando que o país não tinha condições técnicas, financeiras e logística para se tornar no que efetivamente já se tornou. Agora, será difícil reverter o problema, mas terá de ser revertido ainda que a um custo muito maior. Os EUA…

A ECONOMIA AMERICANA

Tenho lido muitos artigos na mídia americana afirmando que a economia dos EUA vai bem, está aquecida e muito próxima do pleno emprego. Ora, isso contraria tudo o que eu disse, após acurada análise, na minha série de mesmo nome publicada em 2016. Se é verdade o que diz o governo, as consequências serão inevitáveis: pleno emprego conduz a aumento de salários, que produz aumento da inflação, que exige medidas monetárias como o aumento da taxa de juros que, por sua vez, faz declinar o preço das ações e títulos e o declínio do valor da própria moeda. Isso por certo não vai acontecer, porque não é o que os dados dizem, como mostrarei em seguida. O custo total da produção tem a participação de dois terços dos custos trabalhistas e é claro que, se há mesmo pleno emprego, o inevitável aumento de salários acelerará a inflação de preços, em geral. Porém isso está longe de acontecer porque os cálculos…

ÍNDICE NASDAQ – Empresas de Tecnologia – 27/06/2017

Conforme minha última análise deste índice, postada aqui mesmo, previ que a onda w1, a primeira da onda intermediaria (5), alcançaria as metas 5.794; 5.803 ou 6.263, esta com 15% de probabilidade. O gráfico acima indica que o índice superou o máximo calculado atingindo 6.304, pico inédito. Contudo, apresentou uma volatilidade também inédita, com o índice subindo e descendo freneticamente embora os indicadores mostrem resiliência à queda. Interessante, não? Acho que uma queda significativa é iminente, embora não haja elementos técnicos para afirmar e fundamentar. Por vias das dúvidas, recomento estreitar os stop-loss nas ações que compõem o índice. Até a próxima.

PODER MUNDIAL SOFRERÁ GIRO DE 180°

Hopi Hari, o maior parque temático e de diversões do Brasil vai fechar. Motivo: excesso de dívidas que provocou a insolvência do grupo. Essa notícia vocês já sabem, leram nos jornais e viram no noticiário de TV, mas não tem nenhuma importância, pois milhares de outras empresas comerciais, industriais e de serviços fecharam pelo mesmo motivo: excesso de dívidas que produzem queda de receita e de crédito e conduzem à bancarrota. Se é verdade para empresas mal geridas também é verdade para países mal administrados: Grécia, Porto Rico, Venezuela falidos e o Brasil a caminho do abismo, como afirmou Delfim Neto, se os políticos não tomarem vergonha e aprovarem as reformas que estão sendo propostas, sem desfigurá-las. A nossa crise desempregou 14 milhões de brasileiros, mas o número de desempregados e miseráveis é visivelmente muito maior. O que pretendo revelar aqui trata-se de acontecimentos em âmbito global, muito importantes e tenho certeza de que quase ninguém está sabendo o que…

ATUALIZAÇÃO DO ÍNDICE BOVESPA 17/02/2017

Como podem observar pelo gráfico, o índice rompeu a resistência superior do túnel, no qual ficou recluso desde novembro de 2010, mas sem grande entusiasmo pela liberdade. Observe o ritmo da subida à esquerda como era expressiva. O mesmo gráfico em variação semanal mostra a evolução da onda intermediaria (3) se desenvolvendo em cinco ondas 1-2-3-4 e a 5 irá finalizar no máximo em 74.053 de onde retornará numa correção técnica, no bojo da onda (4) de grau intermediário. Até lá, as escolhas deverão ser bem seletivas e os resultados podem surpreender.

EUA, CHINA, RÚSSIA E O MUNDO QUE SE DANE

Há muitos e respeitáveis analistas do mercado financeiro apostando numa maxidesvalorização do Yuan, a moeda chinesa, o que traria, caso efetivada, tumultos nos mercados mundiais como a queda abrupta nas bolsas de valores em todo o mundo, Brasil incluído. Falam até em queda de 20 a 30% o que produziria uma perda de riqueza excepcional. Darei abaixo o decálogo de motivos que são arrolados para essa previsão e, em seguida, minhas ideias à respeito, que indicam porque não partilho da mesma opinião. 1-Trump declarou várias vezes, inclusive no twitter, que a China é manipuladora de sua moeda. 2-Surpreendentemente, também declarou que o dólar está muito forte e ele quer um dólar mais fraco. Consequentemente, Trump espera que a China deixe sua moeda valorizar mais. 3-Trump colocou em risco a política chinesa de “Uma Só China”. Essa política significa que a China quer que os EUA continuem a reconhecer Taiwan, a província rebelde, como parte do território chinês e não como outro…

TRUMP, SEUS PROJETOS E A NOVA MOEDA MUNDIAL

Este será o último relatório que publicarei neste ano. A importância dele é avaliar até que ponto o novo presidente Donald Trump seguirá adiante com suas promessas eleitorais. Nesta análise estarei atualizando a situação econômica real dos EUA e sua inter-relação com um mundo em rápida mutação e novos paradigmas. TRUMP E SEUS PROJETOS Os analistas de mercado comparam o projeto de Trump ao de Reagan, que em sua ocasião produziu crescimento econômico, bolsas em alta e ofertas generosas de emprego. Como as propostas são semelhantes, o mercado reagiu com euforia a partir de novembro, após a inesperada vitória de Trump, antecipada meses antes em minhas colunas. Dow Jones, Nasdaq e S&P 500 subiram com grande euforia antecipando o “Make America Great Again”. Será isso possível? As condições na época de Reagan eram completamente diferentes das atuais. O endividamento do país era de 55% do PIB, os EE. UU tinham a hegemonia do comércio mundial e o dólar reinava sozinho…

REFERENDO NA ITÁLIA

ALTA INSTABILIDADE NA EUROPA Os italianos vão às urnas hoje, por convocação do premiê Matteo Renzi para votar SIM à proposta de reforma da Constituição que prevê a alteração de 40 artigos. Você pode imaginar o que significa isso, como explicar para a população mal informada que nem conhece os termos da Constituição vigente uma reforma complexa que retira poderes do Senado, reduz o número de senadores de 315 para 100 e elimina a remuneração deles, além de variados outros temas. Algumas agências de pesquisas dão como certo a vitória do SIM e outras avaliam um resultado muito apertado entre o SIM e o NÃO. Eu previ, aqui em meu site, a vitória do BREXIT, a saída da Grã-Bretanha da União Europeia, contra todas as previsões de agências e analistas. Previ também a vitória folgada de TRUMP contra todas as previsões. A razão é que utilizo outro ferramental para efetuar minhas avaliações e posso vaticinar que, desta vez, prevalecerá o…