A GEOPOLÍTICA MUNDIAL DA CHINA (1)

1º de 4 artigos

A CÚPULA DO G20, NA ARGENTINA

Ocorreu nos últimos dias de novembro passado. Teve três prioridades:
1- Futuro do trabalho
2- Infraestrutura para o desenvolvimento
3- Alimento sustentável; melhoria da produtividade

O objetivo do G20 é promover a coordenação das políticas macroeconômicas globais. Destaques foram os pronunciamentos dos dois pesos pesados da economia e do comercio mundial: EUA e CHINA.

Trump defende o unilateralismo e protecionismo no comércio e a China o multilateralismo e abertura dos mercados.
De que estão falando? Vamos esclarecer os conceitos de ambos os termos para que este texto se torne útil.

UNILATERALISMO é qualquer agenda ou doutrina que apoie uma ação unilateral. Eu defino, você acata, temos um acordo. Exemplos: “America First”: Trump diz para a China: “ou vocês importam mais produtos americanos ou vou taxar em 25% as importações dos produtos chineses”.
Trata-se de uma imposição unilateral, usual em regimes totalitários e não democráticos.
MULTILATERALISMO se refere às relações internacionais onde vários países, trabalham em conjunto sobre um determinado tema. OPEP, União Europeia, Mercosul, TPP (Parceria Transpacífico), são exemplos. Trata-se de obter democraticamente um consenso entre os participantes de forma a satisfazer o interesse de todos. São utilizados em regimes democráticos.

Está difícil de compreender o mundo atual?

Está mesmo, por isso convido meus leitores a lerem com atenção os 4 artigos desta série: (SERÃO PUBLICADOS EM SEQUÊNCIA, TODOS OS DIAS)

– 1 de 4 – A CÚPULA DO G20, NA ARGENTINA
– 2 de 4 – BRASIL – CHINA
– 3 de 4 – EUA – CHINA
– 4 de 4 – EUROPA – CHINA

A China ofereceu ao mundo a iniciativa do Cinturão e Rota* que se constitui num bem público, demonstração vívida da promessa chinesa de abertura e cooperação. A Argentina, anfitriã da Cúpula G20, participa ativamente dessa iniciativa. A China é o maior destino das exportações da Argentina de proteína animal e produtos agrícolas. A suning.com, uma plataforma de compras online de alimentos frescos da China, vendeu cerca de 10 mil porções de carne de vitela oriundas da Argentina em apenas 60 segundos, no Dia dos Solteiros, festejado em 11 de novembro.
A cooperação da China é ainda mais abrangente, financiando a Argentina a atualizar seu obsoleto sistema ferroviário destinados ao transporte de produtos agropecuários, cortando custos e tornando o país mais competitivo.

O mesmo vem tentando fazer com o Brasil, apesar das resistências. Será objeto de meu próximo artigo: Brasil – China.

Dagoberto Pacheco
Guarujá, 11/12/2018.

¥ ¥ ¥ ¥ ¥

*No artigo ‘Eurasia & TPP’ descrevo com detalhes o que é esse projeto, suas dimensões e propósitos

Deixe você também seu comentário: