jan 082014
 
NASDAQ HISTORICO

NASDAQ HISTORICO

Nossa aventura começa em fevereiro de 1986, século passado, quando o indicador das empresas de tecnologia iniciou uma alta impressionante que se estendeu, quase sem interrupção, até 31/03/2000, data da alta histórica, até hoje não ultrapassada e que marcou o final da onda primária III em 5.132,52.

A maioria dos analistas de hoje, jovens inteligentes e ambiciosos, não vivenciou essa magnífica experiência. As empresas de tecnologia quase todas davam prejuízo, como ocorre ainda hoje para muitas, mas o clima do mercado era: “o avanço tecnológico veio para ficar e quem não entrar agora perderá o foguete que nos conduzirá à lua!”  Então, estava claro para mim todas as características de uma bolha: euforia, falta de racionalidade, abandono de regras e a crença de novos paradigmas. Previ um crash que viria com vários minicrashs. O primeiro levou o índice para 3.042,66, em 31/05/2000, uma queda de 59% em apenas dois meses. Esperei o repique que calculei, seria 0,618 vezes o percurso da queda e, portanto, a recuperação atingiria ao redor de 3.381,40. Recomendei aos meus clientes venda total da carteira a partir desse nível. O Nasdaq continuou subindo até 4.289,06, em 31/07/2000, cota que representava 16,5% de perda em relação ao cume máximo e quando caiu, como eu esperava, deixei de ter dor de estômago e passei a dormir melhor.

A partir dessa cota a queda foi abissal. O fundo do poço foi encontrado na cota 1.108,49 em 31/10/2002 com o encerramento da onda primária IV.   Recomendo a leitura de meu livro “New Lessons of Abyssà venda na Amazon para relaxar e se preparar para o que virá.

 

Deixe um comentário seu:

%d blogueiros gostam disto: