ago 272014
 

I. BOVESPA – 27 DE Agosto de 2014

I. BOVESPA – 27 DE Agosto de 2014

I. BOVESPA – 27 DE Agosto de 2014

O Índice Bovespa está se recuperando bem, mas até onde irá?

Vamos aos fatos observados:  após o mínimo atingido no final da onda primária IV (29.435) o índice desenvolveu duas ondas intermediarias: (1) (73.103); (2) (44.904). Como destaquei nas analises anteriores,  a onda (1) subiu forte e constante, mas a onda (2) desceu demais e rompeu o padrão, varando os três suportes previstos, o que acendeu um sinal vermelho de que novos desastres poderão ocorrer. A partir desse ponto mínimo iniciou uma reação boa sinalizando o provável inicio da onda intermediaria (3). Esta está sendo formada pelas ondas menores w1(56.747); w2(44.904) e w3, ora em andamento, mas pelos meus cálculos dificilmente superará os 63.486 pts. Mesmo assim a onda w3 terá percorrido 18.582 pts, superando a onda w1 com apenas 12.640 pts. Este é um sinal positivo, pois abre a possibilidade da onda final w5 crescer bastante e superar a resistência 68.969 completando a onda intermediaria (3). Se superar essa resistência, a finalização deste ciclo de alta se dará bem acima do recorde 73.920, ocorrido em 30/05/2008. Então sim, ocorrerá o crash tão apregoado pela mídia e os gurus de plantão.

Bons investimentos.

WARNING: This newsletter does not mean an investment adviser, or advocate the purchase or sale of any security or investment.    Investments recommended in this newsletter should be made only under your own responsibility and after reviewing the prospectus or financial statements of the company.

==============================

Índice Bovespa – Atualização em 08-04-2014

Índice Bovespa – Atualização em 08-04-2014

Índice Bovespa – Atualização em 08-04-2014

A imagem do gráfico mostra o ponto histórico mais alto do índice: 73.920, final da onda primária III atingida em 30/05/2008, data do estouro da bolha financeira nos EUA, a qual deu origem a maior crise mundial desde 1929.

A queda que se seguiu, um verdadeiro ‘crash’, levou o índice para a cota 29.435, em 31/10/2008, cinco meses após o pico.

Seguiu-se nova alta expressiva que levou o índice à cota 73.106, concluindo a onda intermediaria (1), a primeira da onda primária V de longo curso. A partir dessa cota o índice vem declinando em vários tríplices, característicos do padrão dessa fase para dar formação à onda (2). A primeira retomada de alta me animou a considerar terminada a onda (2) em 44.107 e a denominei onda menor w1, mas a queda que se seguiu foi maior que a esperada e venceu todos os suportes rompendo o padrão da onda menor. Há, portanto, uma interrogação quanto ao final da onda w2.

A reação que se seguiu foi forte, fenomenal e igualmente inexplicável.  Foi puxada pelas estatais Petro, B. Brasil e Eletrobrás, todas com rendimentos decrescentes ou negativos num momento em que o rating do Brasil foi rebaixado pela S&P e, consequentemente, as taxas de empréstimos irão crescer.  De qualquer forma a Analise Técnica não mostra sinais consistentes e convincentes de que as ondas w1 e w2 estão dando inicio à onda intermediaria (3).

Quando olhamos o gráfico via satélite o vemos bem ampliado ao longo do tempo e podemos ter uma ideia clara das proporções. A reação não parece tão convincente para indicar a finalização da onda (2), o volume decresceu, as médias moveis estão orientadas para baixo e tudo indica que o índice vai cair e a Dilma subir.

Bons investimentos com cautela redobrada. Óleo na pista.

============================

ÍNDICE BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 20 12 2013

BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 16/09/2013

BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 16/09/2013

Recordando, o I. Bovespa, a partir do ponto mínimo atingido no auge da crise financeira, pela onda primária IV em 30/10/2008, na cota 29.435, subiu rapidamente até a cota 71.989 que constituiu a finalização da onda intermediaria (1).  Vale ressaltar que não superou a cota histórica 73.920,  final da onda primária III, anterior ao estouro da bolha,  nos EUA.  A partir do final de (1), está em formação a onda intermediaria (2) há exatos 3 anos e 8 meses, através de vários tríplices num canal declinante de linhas paralelas e com volume crescente. É um longo período  Bear, mesmo quando outros mercados do exterior vêm apresentando crescimento continuado. O último suporte técnico, 45.693, foi varado não completamente pelas barras semanais, como pode ser visto no gráfico logo abaixo, atingindo a cota mínima 44.107. Seguiu-se uma  forte alta que necessitaria superar a última resistência 68.969 (B), mas isso não aconteceu, razão pela qual não houve novas atualizações de minha parte. A razão de fazê-la agora, além de manter um derradeiro contato com meus seguidores neste ano, é convidá-los a inteirar-se de dois artigos que estão em meu blog “Opinião”,  neste site:  O Brasil da Governança Petista e Brasil, País Emergente?’ Ambos são esclarecedores do momento que estamos vivendo e do que podemos esperar no ano vindouro.

Tenham FELIZES FESTAS  e obrigado pelo prestígio de vossas visitas.

============================

BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 16/09/2013

BOVESPA – ATUALIZAcaO EM 16-09-2013

BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 16/09/2013

O I. BOVESPA, após ter afundado até  29.435 pts (31/10/2008) reagiu rapidamente em 5 ondas menores finalizando a onda intermediaria (1) em 71.989 (30/04/2010). A partir daí, passou por longo período de baixa (Bear Market) aparentemente finalizando a onda (2) em 44.107 (05/07/2013),após múltiplos triângulos de ajuste. Só então iniciou um novo período de alta cujas características podem ser de longo prazo, se esta for o principio da onda (3). Incertezas, por quê? As razões são as seguintes: A)     a onda (2) foi estendida demais, rompeu por oito dias o último suporte 45.693, (vide análise de 12/03/13, final da onda (2)) e embora as barras não tenham se despregado da linha suporte é, ainda assim, um mau sinal. B)      A alta que se seguiu é de reação forte e com todos os indicadores positivos, mas as três médias móveis continuam desalinhadas e isso pode ser a sinalização de que um novo triângulo está em formação o que, se verdadeiro, pode trazer o índice para baixo no nível de C. Esta incerteza só será removida quando o índice superar a cota B (68.969) a qual ainda está longe. Até lá, recomendo compras muito seletivas e com uso de “trailing stop” para proteção do capital e lucros acumulados. Boa sorte e bons investimentos.

===========

Índice Bovespa – Atualização em 11/06/2013

Índice Bovespa – Atualização em 11/06/2013

Índice Bovespa – Atualização em 11/06/2013

Como consta de minha última análise, que pode ser vista logo abaixo, o índice ficou oscilando no túnel  formado pelas linhas de resistência (60.882) e suporte (55.883). Embora tenha conseguido varar a linha superior não se sustentou. Os osciladores e indicadores, são 18 ao todo que monitoram os movimentos do ativo, não deram sinais convincentes de uma alta sustentável e logo o índice voltou obediente para o túnel.  A previsão, na analise anterior, era de que se o índice rompesse a linha inferior de sustentação baixaria para o próximo suporte em 49.432 (situação atual). Como desenhou a formação de um ‘M’ a perna direita tende a ser mais longa, ou seja, o suporte 49.432 será rompido em breve e a onda intermediaria (2) finalizará próximo do nível de A(47.793). É chegado o momento do rebote e o índice poderá subir com força no bojo da onda intermediaria (3) de longo percurso. Bons investimentos.

===========

ÍNDICE BOVESPA  Atualização 28/03/2013

ÍNDICE BOVESPA  Atualização 28/03/2013

ÍNDICE BOVESPA Atualização 28/03/2013

Como foi previsto na vez passada, (veja analise logo abaixo) o Bovespa teria de cair e assim vem fazendo: rompeu o primeiro suporte, o segundo, o terceiro e poderá interromper a queda no quarto, em 52.212 ou no quinto, em 49.432, este menos provável, mas possível, quando completaria a perna ‘c’  do tríplice gêmeo e finalizaria a perna ‘C’ de grau superior, completando também a onda intermediaria (2). Só então estará livre para subir de forma contínua em várias ondas no bojo da onda (3) de longo prazo. De qualquer forma, o momento é propício para ir entrando no mercado com cautela, pinçando oportunidades de forma seletiva o que resultará em longo prazo numa lucratividade compensadora e remuneradora da paciência e da boa estratégia. Bons investimentos.

===============

ÍNDICE BOVESPA – Atualização em 12/Março/2013 BOVESPA–Atualizacao em 12 de marco de 2013 Vejam que estrutura interessante está em formação. Como poderão observar da analise passada, logo aí abaixo, afirmei que se a resistência 58.313 fosse rompida, como aconteceu, a contagem das ondas 1 e 2 não se confirmaria e novos tríplices estariam em formação, cuja ultimação será o final da onda intermediaria (2). Há um tríplice duplo em formação que indica que o I. Bovespa não engata agora uma subida sustentável, para usar o termo da moda, mas deverá retornar após completar b e finalizar c que irá coincidir com o final da onda (2).  As metas para essa finalização da onda (2) serão: 55.733 e 45.691. Em conclusão: o mercado nacional está fraco, inseguro e a espera que algo mude na política econômica. O mercado americano, apesar da crise fiscal, está indo bem com as corporações apresentando lucros fantásticos. Aqui temos de esperar, mas algumas empresas têm oferecido oportunidades excelentes. É só garimpar. “Bull markets are born on pessimism, grow on skepticism, peak on optimism and die on euphoria”. John Templeton. Todos nós estamos muito distantes disso.

===========

ÍNDICE BOVESPA – Atualização em 29/Janeiro/2013 ibovespa Na analise anterior de 04/Jan/2013 quando o Índice ultrapassou, pela segunda vez a resistência 60.882, afirmei que poderia estar se iniciando a nova onda intermediaria (3), confirmando, assim, o término da onda (2) indicada no gráfico. Contudo, havia uma condição importante: seria necessário que o índice ultrapassasse a resistência 66.341 para que a onda intermediaria fosse reconhecida. Situação atual: O Índice retornou novamente para o antigo canal entre as duas linhas indicadas no gráfico. Por enquanto não significa nada, pois as estruturas das duas novas ondas consideradas ainda se mantêm. Contudo, caso o índice vare totalmente o novo suporte 58.313, significará que a contagem das ondas 1 e 2 está errada e o Índice retornará para as proximidades de (2).  Se o suporte cumprir sua função, o Índice retomará a alta e, ai sim, alcançará a resistência 66.341 com grandes possibilidades de superá-la, sem dificuldade. Observação: Para os amantes da Análise Técnica, os desdobramentos apresentados neste site são um processo didático e gradativo de aprendizado na prática, sem a necessidade de grandes elucubrações teóricas.  Vejam que não se pretende adivinhar o caminho futuro do Índice, o que é impossível, mas avaliar constantemente as estruturas das ondas as quais nos antecipam o caminho com segurança. Assim vamos seguindo passo a passo, sem ficar chutando suportes e resistências a todo o momento, sem  dar importância à estrutura dos movimentos. Aliás, sem envolver nosso amigo Eike Batista, essa questão da estrutura das ondas é o ‘X’ da questão.

===============

Índice Bovespa – Atualização em 04/01/2013

Clipboard01 Estive bastante tempo ausente de analises e a razão está mostrada no gráfico acima: o índice andou subindo e descendo dentro das faixas de sustentação (55.883) e resistência (60.882), sem ter escapado delas nenhuma vez. Nesta semana, o índice ficou inteiramente acima da linha de resistência e totalmente despregado dela por três gloriosos dias. Este é um sinal de que ganhou forças para alcançar uma nova resistência, agora calculada em 66.341. Se o índice superar essa resistência encontrará outra mais dura de varar em 73.272. Essa cota é afortunadamente pouco superior à cota histórica máxima alcançada pelo índice ao completar a perna b do tríplice que deu origem a perna A de grau superior, mostrada na figura. Como o gráfico mostra, a arrancada do índice foi débil, em movimentos de pouca amplitude e isso poderá surpreender com nova queda dando formação a novo tríplice que trará o índice para baixo. Contudo, se vencer a primeira resistência e ainda superar a segunda, então o índice estará livre para alta de longo prazo e poderei calcular até onde poderá chegar. Numa simulação verifiquei que superaria os 90.000 pontos. Não aposte todas as fichas, vá com calma, o mercado ainda está muito seletivo. Evite as elétricas, Petro, Vale e os bancos estatais. Enquanto o índice permanecer oscilando entre estas paralelas, onde agora se encontra, não haverá atualizações.

====================

I.Bovespa – ATUALIZAÇÃO 25/10/2012

Já havia advertido em algumas analises anteriores que se o Índice Bovespa não varasse a resistência 60. 882 desenharia um novo tríplice que levaria o índice para próximo de 49.432. Ele varou e me fez pensar que havia completado a onda intermediaria (2), mas não se sustentou acima dessa linha e voltou a declinar com firmeza e mais,  já quebrou os padrões para se poder considerar essa baixa uma correção técnica.  Assim, onde havíamos assinalado como (2) estamos substituindo por (a) em 52.212, (b) em 63. 428 e (c) em curso com possibilidade de grande declínio. Venda e stop-loss  agora são recomendáveis para se  recomprar a preços mais reduzidos.

=================

I.Bovespa – Atualização em 04/10/2012

Bovespa – Atualização em 04/10/2012

Bovespa – Atualização em 04/10/2012

O I. Bovespa falhou em se sustentar acima da linha de suporte 60.882. Temos duas hipóteses: 1º) Continua caindo até o nível de (2), 52.212, completando um novo tríplice, ou: 2º) reage, após as eleições e supera a citada linha dando continuidade ao processo de alta. Razões: O governo interviu pesado na economia, fixando a taxa de câmbio, baixando a taxa de juros, intervindo nas comissões e taxas de serviços dos bancos, cartões de crédito, fundos de investimento, também nas companhias de eletricidade, telefônicas, saúde e concessionarias de serviços públicos ocasionando substancial queda nas cotações dessas empresas. As medidas parecem justas e boas para a economia, mas num primeiro momento se parece com o aconselhamento de Maquiavel ao Príncipe: “faça o mal de uma só vez e o bem continuamente, aos poucos”. Quanto à segunda hipótese, há sinais nas nuvens de mudanças favoráveis na economia.  Quem viver verá.

=======================

I.BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 17/SET/2012

BOVESPA: ATUALIZAÇÃO EM 17/09/2012

BOVESPA: ATUALIZAÇÃO EM 17/09/2012

Boas notícias, o Índice superou as duas resistências e foi acima de 60882, confirmando o inicio da onda intermediaria (3). Esta será a mais longa e com as cinco ondas de mesmo grau darão vida à onda primária V que finalizará este período considerado Bull para ser seguido por outro período Bear. A duração desta onda (3) será de 15 a 24 meses, aproximadamente e alcançará a cotação de 94700. Portanto, esqueçam as crises econômicas e vamos às compras.

=================

I.BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 22/AGO/2012

ATUALIZACAO EM 22AGO2012

ATUALIZACAO EM 22AGO2012

O I. Bovespa está apresentando dificuldades para varar a resistência superior 60.882. Como havia dito na analise anterior não há condições ainda para se afirmar que a onda intermediaria (2) terminou em C. Médias moveis desalinhadas tentarão puxar o índice para baixo. Outros indicadores também estão em contradição com a retomada de alta. É bem provável que o índice retorne para abaixo de C, formando um novo tríplice e alcance sustentação firme em 49.432.  É bom  notar que vários indicadores dão conta de uma retomada de alta nos mercados internacionais e que no presente momento o mercado é Bull. Aqui estamos finalizando a onda intermediara (2) que é correção e logo o mercado engata a onda (3) para dar continuidade à onda primária V, de alta. Lembre-se que ela iniciou em 29.435, valorização de 105% ! Bull, pois não?

=========

 I.BOVESPA – ATUALIZAÇÃO EM 06/AGO/2012

Análise - Índice Bovespa - Atualização em 06/08/2012

Análise – Índice Bovespa – Atualização em 06/08/2012

O Bovespa que completou a onda intermediária (1) em 71.989 desenhou a partir de então um tríplice A(47.793); B(68.969 e C, a meu ver, ainda em formação.  A perna C desenhada até agora não tem um tríplice definido nem a queda foi em 5 ondas. É provável, portanto, que esta alta recente seja seguida por nova queda para completar a onda (2) nas proximidades de 49.432. Se a alta persistir e elevar o índice acima da resistência 61.946, então podemos considerar a onda (2) finalizada em 52.212. Ação a tomar: Observe o que se passa nas proximidades da resistência mencionada. Se o índice não conseguir varar e retornar, venda tudo e aguarde nova oportunidade de compra que surgirá. Mais seguro utilizar Stop-Loss. Bons investimentos.

============

I.Bovespa – Atualização 17/05/2012

INDICE BOVESPA - Atualizacao17-Maio-2012

INDICE BOVESPA – Atualizacao17-Maio-2012

Ontem, 16/05, o índice varou a última sustentação calculada em 55.883, mas o fechamento se manteve acima desta linha. Hoje varou novamente e manteve o fechamento abaixo. Este é um mau sinal e poderá levar o índice a níveis ainda mais baixos. Neste momento, 15h43min, o fechamento está em 54.493 e se até o encerramento da sessão o índice não fechar acima dessa linha então vai desenhar um tríplice como a seguir indicado: A = 47.793 no lugar de (2) B = 68.968 no lugar de w1 C = Entre 49.432 e 47.793 quando se encerraria a onda (2). Enfim, um desastre, mas que não anula a hipótese inicial de que estamos na onda primária de alta V.

==============

I.Bovespa – Atualização 10/05/2012

IBOVESPA-DIARIO 10-05-2012

IBOVESPA-DIARIO 10-05-2012

Como mostra o gráfico acima, o índice está seguindo rigorosamente a previsão.  Varou o segundo suporte (60.882) que agora se torna resistência. Enquanto permanecer entre suporte e resistência não haverá atualizações.

==============

ATUALIZAÇÃO: abril 10, 2012

IBOVESPA-DIARIO

IBOVESPA-DIARIO 10-04-2012

Estamos na onda primária V que segue após o término da onda de igual categoria IV em 29.435. Trata-se de onda de longa duração e que poderá levar o índice a niveis recordes. O inicio dessa onda se fez com 5 ondas menores a saber: w1 = 43.441; w2 = 35.721; w3 = 54.955; w4 = 48.261 e w5 = (1) = 71.068.

A partir do ponto mais elevado, o índice desenhou uma onda (2) de estrutura 3-3-5, completando a onda intermediaria (2) em 47.793, no mesmo nivel da onda 4 de grau inferior e que constitue forte suporte. A formação demorada desta onda, 19 meses, pode ser atribuida à compensação da rapidez da recuperação anterior e ao panorama de incertezas que o mundo continua enfrentando.

A partir do término da onda (2) a onda intermediaria (3) teve inicio com 5 ondas de grau minuto dando formação a onda  menor  w1 = 68.969.  A queda que se segue é a onda w2 que encontrará suportes significativos em 60.882 e 55.883.  Os osciladores e indicadores irão confirmar o momento da reversão. Vamos aguardar e tenham boa sorte.

(Obs.: Esta é uma análise técnica, fundamentada em cálculos matemáticos e teorias sociológicas e psicológicas aplicadas ao comportamento dos indivíduos e não significa recomendação de compra ou venda de ativos) Nota: Enquanto as cotações se mantiverem no intervalo suporte/resistência não haverá a

I. BOVESPA – 27 DE Agosto de 2014

I. BOVESPA – 27 DE Agosto de 2014

tualizações, exceto se novos fatos determinantes assim as exigirem.

 

Deixe um comentário seu:

%d blogueiros gostam disto: